segunda-feira, 5 de outubro de 2009

As Três Peneiras

Olavo foi transferido de projeto. Logo no primeiro dia, para fazer média com o novo chefe,
    saiu-se com esta:
    - Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Silvio. Disseram que ele.../
    Nem chegou a terminar a frase o chefe, Juliano, apartou:
    - Espere um pouco, Olavo. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?
    - Peneiras? Que peneiras chefe?
    - A primeira, Olavo,é a da VERDADE. Você tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?
    - Não. Não tenho. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram. Mas eu acho que...
    E, novamente, Olavo é interrompido pele chefe:
    - Então sua história já vazou a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira,que é a da  --
    bondade. O que você vai me contar,  gostaria que os outros falassem ao seu respeito?
    - Claro que não! Deus me livre, chefe! -diz Olavo, assustado.
    Então, - continua o chefe- sua história vazou a segunda peneira. Vamos ver a terceira peneira,que é
    que é a da NECESSIDADE. Você acha mesmo necessário me contar esse fato ou mesmo passá-lo adi-
    ante?
    - Não chefe. Passando pelo crivo destas peneiras,vi que não sobrou nada do que eu iria contar fala /
    Olavo surpreendido.
    - Pois é Olavo! Já pensou como as pessoas seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras?-diz
    o chefe sorrindo. Da próxima vez que surgir um boato por aí, submeta-o ao crivo dessas três peneiras:
    VERDADE - BONDADE - NECESSIDADE, antes de obedecer ao impulso de passá-lo adiante, porque:

                         PESSSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS!
                               PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS!
                               PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS!!!

domingo, 27 de setembro de 2009

O que Importa Nessa Vida

jogos-paraolimpicos-1 ´Há alguns anos atrás,nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes,todos com deficiência mental ou física,alinharam-se para a largada da corrida dos cem metros rasos.   
                             Ao sinal todos partiram,não exatamente em disparada, mais com vontade de dar o melhor de si,terminar a corrida e ganhar.
                             Todos com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar. Os
outors oito ouviram o choro. Diminuiram o passo e olharam para trás. Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: "Pronto, agora vai sarar". E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada.
                            O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas que estavam alí naquele dia,continuam repetindo essa história até hoje.
           Por que lá no fundo, nós sabemos que o que importa na vida é mais do que ganhar sozinho. O que importa nessa vida é ajudar os outors a vencer , mesmo que isso siguinifique diminuir o passo e mudar de curso.     

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O Carro

Era uma vez um rapaz que ia muito mal na escola.Suas notas e seu comportamento eram decepção para seus pais que sonhavam vê-lo formado e bem sucedido.Um belo dia o bom pai propôs um acordo,dizendo-llhe:"Se você meu filho mudar o comportamento,se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular para a faculdade de medicina lhe darei um carro de presente."!
Por causa do carro o rapaz mudou da água para o vimho: passou a estudar como nunca e a ter um comportamento exemplar, o pai estava feliz mais tinha uma preocupação:sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão síncera,mais apenas do interesse de obter o automóvel isso era mal.
O rapaz seguia os estudos e aguardava o resultado dos seus esforços.Assim o grande dia chegou:o rapaz foi aprovado para o vestibular de medicina.Como prometido o pai convidou os amigos e a família para festa de comemoração.O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel.
Quando pediu a palavra o pai elogiou o filho e lhe passou as mãos uma caixa de presente.Acreditando que estavam ali as chaves do carro ele abriu emocionado o pacote.Para sua surpresa o presente era uma bíblia.Ele ficou visivelmente decepcionado e nada disse,simplesmente colocou a bíblia numa estante da sua casa.
A partir daquele dia o silêncio e a distancia separavam pai e filho.O jovem se sentia traido e agora lutava para ser independente.Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da universidade.Raramente mandava notícias, o tempo passou ele se formou,conseguiu um bom emprego em um hospital e se tornou um médico conceituado. Porém se esqueceu completamente dos pais.Todas as alternativas do pai8 para reaterem foi em vão.Até que um dia, o velho muito triste com situação adoeçeu e não resistiu: faleceu.
No enterro ,a mãe entregou ao filho indiferente, a bíblia que tinha sido o ultimo presente do pai,anos atrás,quando ele passou no vestibular.Essa bíblia passou anos na estante dos pais esperando que ele fosse buscá-la.
De volta a sua casa, o rapaz que nunca perdoara o pai,quando colocou a bíblia em cima de um móvel,notou que havia um envelope dentor dela.Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque em branco,assinado pelo seu pai datado do dia do resultado do vestibular em que fora aprovado.A carta dizia:"Filho querido,sei quanto deseja ter um carro.Eu promrti e aqui está o cheque para você.Escolha aquele que mais lhe agradar.No entanto fiz questão de lhe dar um presente ainda maior:a bíblia sagrada.Nela aprenderás o amor a Deus e a fazer o bem não pelo prazer da recompensa,mas pela gratidão e pelo dever da consciência."orroido de remorso o filho caiu em profundo pranto.
MORAL DA HISTORIA

Como é triste a vida dos que não sabem perdoar.Isso leva a erros terriveis e a um fim ainda pior.Antes que seja tarde,perdoe aquele que você pensa ter feito o mal.
Não somos responsavéis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Os Dois Cavalos

dois cavalos Numa estrada há um pasto. Dois cavalos vivem lá. De longe, parecem cavalos como os outros, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego. Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um amigo, - um cavalo mais jovem.
Isso já é de se admirar. Se você ficar observando, ouvirá um sino.
Procurando de onde vem o som, você verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo menor. Assim, o cavalo cego, sabe onde está seu companheiro e vai até ele.

Ambos passam os dias pastando e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo.
E você percebe que o cavalo com o sino, está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, para, para que o outro possa alcançá-lo.

O cavalo cego, guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.

Moral da história:

Como o dono desses dois cavalos, Jeová Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios.

Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos.
Algumas vezes somos o cavalo cego, guiado pelo som do sino daqueles que Jeová Deus coloca em nossas vidas.

Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho. E assim são os bons amigos. Você não precisa vê-los, mas eles estão lá.

segunda-feira, 30 de março de 2009

O Verdadeiro Amor

Um famoso professor se encontrou com um grupo de Idosos5 jovens que falava contra o casamento.
Argumentavam que o que mantém um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga, em vez de se submeter à triste monotonia do matrimônio.
O mestre disse que respeitava sua opinião, mas lhes contou a seguinte história:

"Meus pais viveram 55 anos casados. Numa manhã minha mãe descia as escadas para preparar o café e sofreu um enfarto.
Meu pai correu até ela, levantou-a como pôde e quase se arrastando a levou até à caminhonete.
Dirigiu a toda velocidade até o hospital, mas quando chegou, infelizmente ela já estava morta.
Durante o velório, meu pai não falou.
Ficava o tempo todo olhando para o nada. Quase não chorou. Eu e meus irmãos tentamos, em vão, quebrar a nostalgia recordando momentos engraçados.
Na hora do sepultamento, papai, já mais calmo, passou a mão sobre o caixão e falou com sentida emoção: "- Meus filhos, foram 55 bons anos...Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não tem idéia do que é compartilhar a vida com alguém por tanto tempo."
Fez uma pausa, enxugou as lágrimas e continuou: "- Ela e eu estivemos juntos em muitas crises.
Mudei de emprego, renovamos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade.
Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos concluírem a faculdade, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiam. Oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, e perdoamos nossos erros...
Filhos, agora ela se foi e estou contente. E vocês sabem por que? Porque ela se foi antes de
mim e não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só depois da minha partida. Sou eu que vou passar por essa situação, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim... "
Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas. Nós o abraçamos e ele nos consolava, dizendo: "Está tudo bem, meus filhos, podemos ir para casa."
E, por fim, o professor concluiu: Naquele dia entendi o que é o verdadeiro amor. Está muito além do romantismo, e não tem muito a ver com o erotismo, mas se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas.

Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar.
Pois esse tipo de amor era algo que não conheciam.
O verdadeiro amor se revela nos pequenos gestos, no dia-a-dia e por todos os dias.
O verdadeiro amor não é egoísta, não é presunçoso, nem alimenta o desejo de posse sobre a pessoa amada.

"Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai  acompanhado com certeza chegará mais longe e terá a indescritível alegria de compartilhar, alegria esta que a solidão nega a todos que a possuem..."

terça-feira, 24 de março de 2009

A Fábula do Porco-Espinho

Durante a era glacial muitos animais morriam por causa do frio.

Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, porco-espinho-dunga assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados, então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.

Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.             

E assim sobreviveram. ..

Moral da História:

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades.

quinta-feira, 19 de março de 2009

O Menino, a Avó e o Patinho

Era uma vez um pequeno rapaz que estava de visita aos seus avós. No quintal      ele Juan-estilingue-1brincava com um estilingue e tentava acertar nos seus alvos,  mas nunca   conseguia. Quando ficou desmotivado, desistiu e voltou para casa para jantar. À medida que se aproximava da casa, viu um patinho de estimação da sua avó. Num impulso, ele pegou o seu estilingue e acertou no pato, matando-o. Ele ficou chocado e pesaroso. Escondeu o pato num cantinho, uma vez que apenas a sua irmã o tinha visto. Sara, a sua irmã, tendo visto tudo não contou nada a ninguém. Depois do jantar, a avó disse 'Sara, ajuda-me a lavar os pratos'. Mas a Sara argumentou: 'Avó, o Joãozinho disse-me que queria ajudar na lavagem hoje.' Em seguida, murmurou ao seu irmão - 'Lembras-te do pato ?'. Assim, a Sara foi pescar e o Joãozinho ficou na cozinha a ajudar. Na manhã, eles queriam ir pescar, mas a avó disse 'É pena, mas preciso que a Sara me ajude a fazer o almoço.' Aí, Sara sorriu e disse: ' Ora, não faz mal, porque o Joãozinho disse que queria ser ele a fazer!'. Virou-se para o seu irmão e murmurou outra vez : 'Lembras-te do pato?'. E lá foi ela brincar no lago e o Joãozinho ficou na cozinha. Depois de uma série de dias fazendo as suas tarefas e as de Sara, o João já não conseguia mais.
Chegou-se ao pé da avó e confessou que tinha matado o pato. A avó ajoelhou-se, deu-lhe um abraço e disse 'Querido, eu sei! Eu estava na janela quando tu acertaste nele. Eu vi tudo. Mas eu amo-te e te perdôo. Estava só vendo até quando iria deixar que a Sara fizesse de ti seu escravo. 'O que quer que tenha acontecido no nosso passado, o que quer que Satanás continue a atirar-nos à cara, lembre-se - 'Jeová estava na janela e ele viu tudo'. Ele estava só esperando até quando íamos deixar que Satanás fizesse de nós seus escravos.
A melhor coisa sobre Jeová é que ele não só perdoa  como  também esquece.
 

''Porque tu, ó Jeová, és bom e estás pronto a perdoar; E é abundante a benevolência para com todos os que te invocam''.
— Salmo 86:5.

quarta-feira, 18 de março de 2009

A Lenda do Rito de Passagem da Juventude dos Índios Cherokees

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, por do sol montanha venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.

Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado.
Ele pode ouvir toda espécie de barulho.
Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.
Os insetos e cobras podem vir picá-lo..
Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.
Finalmente...
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.

Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.


Nós também nunca estamos sozinhos!
Mesmo quando não percebemos JEOVÁ está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'.
Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.
Se você gostou desta história, repasse-a.
E  evite tirar a sua venda antes do amanhecer...
Moral da história:

Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja conosco.
Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.

O Universitário e o Idoso

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário que lia o galaxia seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos.
Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
- Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?
- Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal.
Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião.
Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias.
O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.
- É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?
- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.
O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário.
Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba.
No cartão estava escrito:
Professor Doutor Louis Pasteur, Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França.


"Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima". Louis Pasteur.

(Cartão de visitas - Fato verdadeiro, integrante da biografia, ocorrido em 1892.)

domingo, 15 de março de 2009

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE, O GRANDE

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos alexandre o grande desejos:

1 -) Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2 -) Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus  tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...); e

3 -) Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos,  perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:

1 -) Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão  para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2 -) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3 -) Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

sexta-feira, 13 de março de 2009

20 ANOS CEGO

Há muito tempo atrás, casal_idoso

um casal de velhinhos que não tinham filhos,

morava em uma casinha humilde de madeira,

tinham uma vida muito tranqüila,

alegre, e ambos se amavam muito.

Eram felizes. Até que um dia...

Aconteceu um acidente com a senhora.

Ela estava trabalhando em sua casa

quando começa a pegar fogo na cozinha

e as chamas atingem todo o seu corpo.

O esposo acorda assustado com os gritos

e vai a sua procura,

quando a vê coberta pelas chamas e imediatamente tenta ajudá-la.

O fogo também atinge seus braços e,

mesmo em chamas,

consegue apagar o fogo.

Quando chegaram os bombeiros

já não havia muito da casa,

apenas uma parte, toda destruída.

Levaram rapidamente o casal para o hospital mais próximo,

onde foram internados em estado grave.

Após algum tempo

aquele senhor menos atingido pelo fogo

saiu da UTI e foi ao encontro de sua amada.

Ainda em seu leito a senhora toda queimada,

pensava em não viver mais,

pois estava toda deformada,

queimara todo o seu rosto.

Chegando ao quarto de sua senhora, ela foi falando:

-Tudo bem com você meu amor?

-Sim, respondeu ele,

pena que o fogo atingiu os meus olhos

e não posso mais enxergar,

mas fique tranqüila amor

que sua beleza está gravada em meu coração para sempre.

Então triste pelo esposo, a senhora pensou consigo mesma:

"Como Deus é bom,

vendo tudo o que aconteceu a meu marido,

tirou-lhe a  visão para que não presencie esta deformação em mim.

As chamas queimaram todo o meu rosto

e estou parecendo um monstro.

E Deus é tão maravilhoso que não deixou ele me ver assim,

como um monstro

Obrigado Senhor!"

Passado algum tempo e recuperados milagrosamente,

voltaram para uma nova casa,

onde ela fazia tudo para o seu querido e amado esposo,

e o esposo agradecido por tanto amor,

afeto e carinho,

todos os dias dizia-lhe:

-COMO EU TE AMO.

Você é linda demais.

Saiba que você é e será sempre,

a mulher da minha vida!

E assim viveram mais  20 anos até que a senhora veio a falecer.

No dia de seu enterro,

quando todos se despediam da bondosa senhora,

veio aquele marido com os olhos em lágrimas,

sem seus óculos escuros

e com sua bengala nas mãos.

Chegou perto do caixão,

beijou o rosto acariciando sua amada, disse em um tom apaixonante:

-"Como você é linda meu amor, eu te amo muito".

Ouvindo e vendo aquela cena

um amigo que esta ao seu lado

perguntou se o que tinha acontecido era milagre.

Pois parecia que o velhinho parecia enxergar sua amada.

O velhinho olhando nos olhos do amigo,

apenas falou com as lágrimas rolando quente em sua face:

-Nunca estive cego,

apenas fingia,

pois quando vi minha amada esposa toda queimada e deformada,

sabia que seria duro para ela continuar vivendo daquela maneira.

Foram vinte anos vivendo muito felizes e apaixonados!

Foram os 20 anos mais felizes de minha vida.

E emocionou a todos os que ali estavam presentes.

CONCLUSÃO

Na vida temos de provar que amamos!

Muitas vezes de uma forma difícil

E, para sermos felizes,

temos de fechar os olhos para muitas coisas,

mas o importante é que se faça única e intensamente com AMOR!

créditos da imagem

quarta-feira, 4 de março de 2009

Uso Sábio das Palavras

Certa vez, um homem tanto falou que seu vizinho era ladrão, que o tribunal
vizinho acabou sendo preso.
Algum tempo depois, descobriram que era inocente. O rapaz foi solto,
após muito sofrimento e humilhação, e processou o homem.

No tribunal, o homem disse ao juiz:
- Comentários não causam tanto mal... E o juiz respondeu:
- Escreva os comentários que você fez sobre ele num papel. Depois
pique o papel e jogue os pedaços pelo caminho de casa
. Amanhã, volte
para ouvir sentença!

O homem obedeceu e voltou no dia seguinte, quando o juiz disse:
- Antes da sentença, terá que catar os pedaços de papel que espalhou ontem!

- Não posso fazer isso, meritíssimo! - respondeu o homem - O vento
deve tê-los espalhado por tudo quanto é lugar e já não sei onde estão!

Ao que o juiz respondeu:
- Da mesma maneira, um simples comentário que pode destruir a honra de
um homem, espalha-se a ponto de não podermos mais consertar o mal
causado. Se não se pode falar bem de uma pessoa, é melhor que não se
diga nada!

"Sejamos senhores de nossa língua, para não sermos escravos de nossas palavras".

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Você faria o mesmo?

NaufrágioUm Pai com seu filho, junto com um amigo com o seu filho, estavam a  navegar num barco distante da costa do oceano Pacífico. De repente, sem que nada o prevesse, uma tempestade os surpreendeu e os seus esforços  para regressar à costa  foram inúteis. As ondas eram tão enormes que, apesar do pai ser um marinheiro com vasta experiência, não conseguia controlar a embarcação de nenhuma forma. De repente, uma gigantesca onda arrastou-os, empurrando os três para fora do barco: seu próprio filho, seu amigo e  o filho do seu amigo.


Rapidamente o pai atou um salva-vidas a uma corda para tomar a decisão mais difícil da sua vida: tinha que decidir a qual dos jovens atiraria a corda, ao seu filho ou ao filho do seu amigo. Era um assunto de segundos porque a água os levaria, sem remédio, à morte! O pai sabía que o seu filho era um bom cristão e que amava a Jeová. Do mesmo modo, também sabía que o filho do seu amigo não era cristão e nunca havia aprendido a amar a Jeová. A agonia da sua decisão não era oposição para a corrente marítima e as ondas gigantescas. O pai gritou ao seu filho: "amo-te", e atirou a corda com o salva-vidas ao filho do seu amigo. No momento em que trazia de volta ao barco o filho do seu amigo, seu filho já havia desaparecido na escuridão da noite, tragado pelo enfurecido mar. O seu corpo nunca foi encontrado.

O pai tinha a certeza que o seu filho sería recordado por Jeová, mas não podia suportar a ideia de que o filho do seu amigo não chegaria a conhecer a Jeová e saber das maravilhosas promessas que tinha para todos os que o servem e obedecem. Por isso, sacrificou a vida do seu querido filho, para salvar o filho do seu amigo.


Quão enorme é o amor de Deus porque fez o mesmo por todos nós. Nosso Pai Jeová, sacrificou o seu único filho para que pudessemos salvar-nos. Eu os encorajo a que aceiteis a sua oferta de nos resgatar, que nos apeguemos à "corda" da salvação que nos atirou a todos.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Porque ir ao Salão do Reino?

Um cristão escreveu uma carta ao editor de um jornal erefeição
queixou-se que não faz sentido ir ao Salão do Reino todo o Domingo.
'Tenho ido por 30 anos ' ele escreveu ' e nesse tempo eu ouvi cerca de uns
3.000 discursos públicos. Mas, não consigo me lembrar de um
único deles.
Então, acho que estou perdendo meu tempo e os irmãos, gastando o deles por
darem discursos bíblicos.'
Isso começou uma grande controvérsia na coluna ' Cartas foram
enviadas ao Editor' para a sua satisfação. E foi assim por algum tempo até
que alguém escreveu a seguinte crônica.
'Estou casado a 30 anos. E nesse tempo todo, minha esposa: cozinhou cerca
de 32.000 refeições. Mas em todo esse tempo, não consigo me lembrar do menu
de uma única dessas refeições. Mas uma coisa eu sei... Todas elas me
nutriram e me deram a força que eu precisava para fazer meu trabalho. Se
minha esposa não tivesse me dado essas refeições eu estaria fisicamente
morto hoje. Do mesmo modo, se não tivesse ido ao Salão do Reino para me
nutrir, eu estaria espiritualmente morto hoje!'
Quando você está para baixo, triste por algum problema, Jeová
Sempre te põe para cima! Faz você ver o invisível, crer no inacreditável e
perceber o impossível!
Agradeça Muito a Jeová pela sua saúde e nutrição espiritual,
dadas por meio de maravilhosas Reuniões Cristãs no Salão do Reino. E não
esqueça que 'a repetição é a mãe da retenção'.
Nunca permita que nada ou ninguém lhe prive do imenso privilégio de estar
nas Reuniões Cristãs, ouvindo a voz do próprio
Jeová através de seus representantes, zelosos oradores, nos instruindo!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

O Verdadeiro Amor

Um senhor de idade chegou a um consultório médico, para fazer idosos um curativo em sua mão, na qual havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso.
O médico que o atendia, curioso perguntou o que tinha de tão urgente para fazer.
O simpático velhinho lhe disse que toda a manhã ia visitar sua esposa que estava em um abrigo para idosos, com mal de Alzheimer muito avançado.
O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse:
- Então hoje ela ficará muito preocupada com sua
demora?
No que o senhor respondeu:
-Não, ela já não sabe quem eu sou. Há quase cinco anos que não me reconhece mais.
O médico então questionou:
- Mas então para quê tanta pressa, e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não o
reconhece mais?
O velhinho então deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico respondeu:
-Ela não sabe quem eu sou... Mas eu sei muito bem quem ela é!
O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava...
O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico.
O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é...
De tudo que foi um dia... Do que será amanhã... E do que já não é mais.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O Tempo do Ponto de Vista de Jeová

Se mil anos são apenas 1 dia aos olhos de Jeová, e olharmos a tempo história do ponto de vista dele, chegaremos a entender que:

· Adão foi criado há 6 dias atrás, e Jeová fez planos de imediato para restaurar o que Adão perdeu para os seus descendentes.

· 39 horas e 45 minutos mais tarde Jeová teve que agir para impedir Satanás e seus demônios de arruinar a terra com toda a sua violência e dar um novo começo para 8 pessoas justas.

· 10 horas mais tarde, no mesmo dia, um pacto foi feito com Abraão para garantir que Jeová iria prover um resgate e assim restaurar as coisas para o seu devido lugar.

· Logo no dia seguinte, Israel fugiu do Egito, e o tabernáculo foi construído, após o pacto da lei ser implementada.

· 1 dia, 1 hora e 48 minutos mais tarde o resgate foi pago e a humanidade assim estava salva.

· 2 horas e 2 minutos atrás, Jeová entronizou seu filho e deu-lhe o seu Reino para finalizar os arranjos para o novo sistema de coisas e dentro de minutos tudo irá acabar para aqueles que querem perturbar os seus Propósitos.

E alguns ainda pensam que Jeová é vagaroso quanto à Sua promessa!

(TAGS: Fim do sistema de coisas, senso de urgência)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Não Vamos imitar o Urubu

cataratas Certa vez um homem jogou um animal morto no rio. Quando as correntezas começaram a levar o animal, um urubu pousou sobre ele para se alimentar. Enquanto isso as correntezas continuavam levando o animal sendo que o urubu se deleitava de bicadas em bicadas no animal morto. Aconteceu que mais a frente havia uma cachoeira, e visto que o urubu estava querendo aproveitar ao máximo do animal morto, não percebeu a cachoeira e então morreu nela. Podemos comparar esse animal morto ao mundo. As correntezas são os dias finais que vão passando e levando o mundo (este sistema) para a destruição. Será que estamos como o urubu, querendo aproveitar ao máximo desse mundo condenado á destruição? Será que estamos dando beliscadas nesse mundo podre? Lembre-se que assim como aconteceu com o urubu, isso poderá custar à vida, a vida eterna.

(TAGS: mundo de satanás, perigos espirituais)

Quem são os Provadores do Rei?

rei Já se sentiu como um Rei? Provavelmente não. Mas você pode se sentir um Rei. Como assim? No passado, na época dos Reis, havia na corte um grupo de homens que eram chamados de provadores do Rei. Esses provadores tinham como função experimentar tudo o que era servido ao Rei, a fim de que ninguém assassinasse o Rei com comida ou bebida envenenada. Os provadores do Rei sentiam antes as conseqüências, muitas vezes resultando na morte de tais provadores.

Algo similar acontece conosco. Nós somos como Reis porque não precisamos experimentar as coisas desse mundo para sabermos que são ruins e que irão nos prejudicar. Além das instruções de Jeová, temos assim como os Reis do passado nossos provadores. Quem são nossos provadores? São as pessoas do mundo. Basta olharmos o cenário em nossa volta e teremos uma idéia dos resultados de se experimentar tais coisas. Apenas como exemplo, aqueles que experimentam o sexo imoral colhem filhos ilegítimos, abortos, doenças sexualmente transmissíveis, e muito mais.

(TAGS: mundo de satanás, lealdade, obediência, conduta cristã)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O Tronco

avion Será que a dor é tão insuportável!?
Um Jovem rapaz sai de férias, no decorrer da viajem e o avião que ele voa cai em alto mar. Percebendo que é o unico sobrevivente, o jovem pensa em como sobreviverá. Ele fica boiando e nadando por horas, a noite começa a pairar, e suas forças estão quase acabando, quando de repente um tronco de árvore lhe esbarra.
'Estou Salvo'!!!!!!!!!
Ele se agarra rapidamente e firmemente ao tronco e deixa que o tronco siga a correnteza até a praia. As horas passam, o dia começa a amanhecer e ele começa a sentir uma dor muito forte, ele olha e vê que o 'tronco' está cheio de espinhos, que vão rasgando e penetrando na sua carne. Mas ao olhar a diante ele vê lá no fundo a praia. E agora? Se fosse você, o que faria? Largaria o tronco? Ou suportaria a dor até chegar à praia?


Aplicação pra Nós!

TODOS nós dissemos: 'sim estou salvo’, (PARA SERVIR A JEOVÁ SEM RESERVAS), quando encontramos a organização (O TRONCO), mas com o passar dos anos podemos começara ver (ESPINHOS), ou seja, falhas em nossos irmãos que nos machucam. E AGORA o que fazer? Largaria o tronco (A ORGANIZAÇÃO, A JEOVÁ) por causa da imperfeição dos nossos irmãos? Ou suportaria a DOR (FALHAS DELES) até chegar à praia (AONOVO MUNDO) que Jeová nos promete?
'Os que esperam em Jeová recuperarão poder. Ascenderão com asas quais águias' Is. 40:31
Lembre-se sempre disso quando alguém magoar você. Ou deixar você triste. Lembrarmos de que eles são imperfeitos, e que constantemente erramos
nos ajudará ver pontos positivos em nossos irmãos e suportaremos uns aos outros até o fim! E sempre colocaremos na melhor conta: Na conta do perdão!!
Perdoar é preciso e seremos perdoados por Jeová!!

(TAGS: imperfeição, suportar falhas, perdoar, não guardar recentimento, perdão)

Você dá mais atenção ao Carteiro?

carteiro1 Quando você recebe uma correspondência, faz questão de olhar o carteiro? de analizar sua vida? Ou se concentra puramente no conteúdo da MENSAGEM que ele traz? Similarmente, quando um irmão faz um discurso no salão do Reino ou quando nos dá um conselho, seria bom prestar atenção à mensagem, que sabemos que vem de fonte segura, e não nos concentrar nas supostas falhas do irmão que aconselha, já que também temos muitas, devido à nossa imperfeição!

(TAGS: não criticar irmãos, obediência, submissão)

Você Realmente Ama a Jeová e a Jesus?

menina chorando A garotinha tinha 5 anos. Certo dia, esperando com a mãe no caixa de uma loja, ela viu um colar de pérolas! Branca; a brilhantes, num estojo cor de rosa. 'Por favor, mamãe, posso comprar'?' A mãe percebeu o grande interesse da filhinha. O colar custava R$ 3,50.

“Se realmente deseja vou pensar em algumas tarefas para você e logo poderá guardar o dinheiro para comprá-lo.” Logo que chegou a casa ela esvaziou o cofrinho de moedas e contou, Tinha 47 centavos, Após o jantar ela fez mais do que as tarefas regulares. Também foi ajudar à vizinha, cuidando de limpar a horta e o jardim, Ganhou mais algumas moedas. Sua avó lhe deu 2,00. Mais esforço e economia e conseguiu os 3,50, para comprar o colar. Ela amava suas pérolas. Usava-as em todo lugar - na escola, reunião, no campo, em casa e até para dormir. Ela tinha um pai muito amoroso, Toda noite antes de dormir ele parava tudo o que estava fazendo e subia as escadas para ler uma história para ela. Certa noite, quando terminou a história, ele perguntou filha: Você me ama?'Claro papai. Você sabe que eu te amo.' 'Então me dê suas pérolas.' Ah, papai. Minhas pérolas não. Mas pode ficar com meu ursinho. “Gosto muito dele.” Tudo bem, querida. Papai ama muito você. Boa noite: Deu-lhe um beijo.

Uma semana depois, ocorreu o mesmo diálogo. 'Pode ficar com minha bonequinha. Ela é novinha, ganhei de presente. É bonita. Também pode ficar com o cobertor amarelo dela que combina com seu pijama'. Tudo bem, durma minha filha. Papai te ama: Deu-lhe um beijo carinhoso. Algumas noites depois, quando seu pai chegou, ela estava sentada na cama, com as pernas cruzadas. chegou perto, notou que o queixo tremendo e uma lágrima rolava pelo rosto 'Que está acontecendo querida? problemas?' Ela não disse nada. Só estendeu a mãozinha. E quando ela abriu, lá estava o pequeno colar de pérolas. 'Aqui papai, entregou com lágrimas nos seus olhos aquele colar que a tanto tempo seu amoroso pai vinha pedindo, com uma mão seu pai pegou seu colar de pérolas de plástico e com a outra ele puxou do bolso um estojo de veludo azul com um colar de pérolas genuínas

e o deu para sua amada filhinha.

Há uma aplicação muito interessante, veja: Tinha tido o colar todo o tempo, seu amoroso pai estava esperando que sua filha renunciasse aquele barato colar para dar-lhe algo de verdadeiro valor. Assim é também com nosso pai celestial. Está esperando que nós renunciemos às coisas sem valor em nossas vidas para que nos dê tesouros preciosos.

Isto me faz pensar sobre as coisas a que nos apegamos, Se desejamos saber o que Jeová tem para nos dar devemos dar a ele aquilo que ele a muito nos pede. ( Mt. 6:33) e para refletir em não reter qualquer coisa de Jeová, como nosso amor , nosso trabalho voluntário no ministério.

Malaquias 3:10

(TAGS: Obediência incondicional, não questionar as normas de Jeová, fé, abnegação, prova de fé, prova de lealdade)

O Corvo e o Beija-Flor

beija5 Um beija-flor fez muita amizade com um corvo. Com o passar do tempo
aquela amizade foi se fortalecendo, chegando a ser como um laço de
família.
O beija-flor e o corvo quase não se separavam e tinham uma
confiança enorme um no outro.

Certo dia o beija-flor resolveu convidar
o corvo para comer em sua casa. O corvo aceitou o convite. Então, no
dia marcado, o beija-flor aprontou uma bela mesa repleta com o néctar
de várias espécies de flores, mel e tudo que ele tinha de melhor. O
corvo chegou ao jantar na hora combinada e se alimentou tão bem que
ficou muito satisfeito com todo alimento servido. Era tudo natural!

O corvo ficou tão contente que resolveu retribuir o gesto do amigo
beija-flor, de maneira que o convidou para ir almoçar em sua casa
também e o beija-flor, claro, aceitou prontamente.No dia marcado o
beija-flor chegou à casa do corvo e viu que este também havia colocado
o 'melhor' na mesa para alimentar seu amigo: carniça, restos de animais
em decomposição e todo tipo de carne podre. Imagine a cena: vemos o
beija-flor que, de tão envolvido que estava naquela amizade, teve
que comer todo aquele lixo para não magoar seu amigo.

Moral da
história: Nós, cristãos, somos como os beija-flores e as pessoas do
mundo (do trabalho, da escola, talvez vizinhos que não servem a Jeová)
são os corvos. Infelizmente muitos de nossos irmãos se associam tanto
com tais pessoas que passam a ter um grande vínculo de amizade com eles
e não com nossos irmãos. Para o corvo nossa amizade é 'recompensadora'
pois se obtém o melhor de nós, já que fomos treinados e instruídos
pelos santos princípios de Jeová. É por isso que só podemos oferecer o
melhor de nossa amizade. No entanto, o corvo que não conhece a palavra
de Jeová também oferecerá o 'melhor' que ele tem: neste caso o
'espírito do mundo' (a busca de prazeres, o materialismo,
a desobediência, a imoralidade sexual etc. ...) e se nós estivermos
tão envolvidos nesse espírito, é como se chegássemos ao ponto de comer
o que ele nos oferece como seu melhor 'prato', certamente nossa pureza
espiritual estará contaminada e em resultado, nossa relação com Jeová
também'apodrecerá'.

A pergunta que surge é: quem sou eu nesta
ilustração? Que papel estou desempenhando?

Satanás tem feito um empenho especial entre todos, jovens e adultos, para que desistamos de
servir a Jeová e nos contaminemos com sua'carne podre'. Satanás
certamente não desistirá.

Portanto, que todos nós mantenhamos nossa
posição limpa perante Jeová e nunca nos coloquemos em risco de ter que
nos alimentar com a podridão do mundo.

(TAGS: separados do mundo, apartados do mundo, más associações)

Será que Jeová vai nos reconhecer?

ovelha A seguir será contada uma ilustração feita em um discurso...

Havia um pastor que criava ovelhas e que tinha muitos problemas com os lobos que lhe roubavam as ovelhas. Ele amava muito as suas ovelhas e não queria perder nem sequer uma delas!! Um dia os lobos vieram e o pastor pegou na sua espingarda e PUM...!! Matou todos os lobos que na ocasião conseguiu... depois... apontou a sua espingarda na direção de uma sombra e reparou que era um pequeno 'lobinho' escondido por detrás da vegetação e tremendo de medo... O pastor teve muita pena dele, agarrou-o e colocou-o entre o seu casaco e levou-o para casa...

Com o passar do tempo a pastor foi-se afeiçoando ao lobinho e todos os dias o levava consigo quando ia tratar das ovelhas. As ovelhas também começaram a gostar do lobinho e de dia em dia ele começou praticamente a ser considerado como uma delas... O lobinho começou a aprender a chamar as ovelhas assim como o pastor fazia. Não passou muito tempo até o lobinho crescer bastante e se tornar adulto, e nessa altura já o pastor confiava muito no seu amigo, a ponto de lhe entregar a guarda

das ovelhas sempre que ele se ausentava para fazer algumas compras.

Um dia, o lobinho estava correndo os terrenos do pastor quando ouviu uma certa gritaria vinda da floresta. Correu e chegou-se aos limites da cerca para observar cheio de curiosidade e viu uma matilha de lobos aproximarem-se. Os lobos ficaram satisfeitos de o ver apesar dele não

os reconhecer, e, um a um, começaram a contar ao lobinho todas as diferentes aventuras e alegrias que cada um tinha tido ao correrem por todo o lado que lhes apeteceu e fazerem tudo o que quiseram sem serem impedidos disso... Ninguém lhes dizia o que tinham de fazer! Então, convidaram-no a saltar a cerca e juntar-se a eles.O lobinho começou a pensar naquela cerca e que de fato ele não sabia o que havia depois dela... nunca lá tinha estado... Quanto mais ele ouvia mais ele pensava se de fato não estaria perdendo qualquer coisa... Não demorou mais de um minuto e ele saltou para fora e seguiu juntamente com a matilha. Durante algum tempo ele viveu com a matilha. Eles tinham bastante que comer e fazia tudo o que lhes apetecia. Estava sendo muito engraçado e ele estava satisfeito pela escolha que fizera... Mas o Inverno chegou e todos começaram a ficar famintos e muito ansiosos. Estava frio, muito frio no local onde tinham que dormir... O lobinho começou a pensar no pastor e como ele nunca o deixou passar frio nem fome. Então ele ouviu o líder da matilha anunciar que tinha chegado a ocasião deles irem roubar algumas das ovelhas do pastor para poderem sobreviver ao Inverno. O lobinho exclamou em alta voz: 'NÃO!! elas são minhas amigas!! Não lhes vamos fazer mal!!'

Mas o líder disse: 'Tu agora és um dos nossos! Tens que fazer o que nós queremos!' Começaram todos a correr em direção á propriedade do pastor. O lobinho relutantemente os seguiu. Depressa chegaram á cerca e começaram escavando por debaixo dela entrando assim na propriedade.

O pastor ouviu o choro e pedido de socorro das suas ovelhas e saiu levando a sua espingarda e começou matando os lobos... BANG!!! Ele os matou um a um o mais rápido que podia, até que ficou frente a frente

com um lobo que estava mais recuado encostado á cerca... 'Espera!! Não me mates!! eu sou o lobinho que tu salvaste!! Eu sou teu amigo!! Não te lembras de mim?? Mas o pastor viu como estava suja a sua pelagem e como ele tinha o cheiro da restante matilha, então ele lhe disse:

'Não... Não te conheço. 'Apontou a sua espingarda e disparou...BANG!!! O lobinho caiu morto.'

Houve um silêncio no auditório e a seguir o orador disse: 'Irmãos! Quando chegar o Armagedom e Jesus vier para destruir este sistema... será que ele vai nos reconhecer?

Ou estaremos 'sujos com o sistema de coisas?'- Hebreus 10:39, Sofonias 2:3, Mateus 24:13

Queridos irmãos, lembrem-se sempre que a má associação é como a ferrugem, sempre começa bem escondida que quase não percebemos e quando vemos já tomou todo o ferro por dentro, está podre e não tem mais jeito. Assim somos nós, se nos deixarmos levar por amizades mundanas, quando formos querer sair não vai dar. Sabe por quê? Você acaba perdendo o respeito perante os suposto 'amigos', por estar tão envolvido com as práticas deles... Portanto, vamos estar sempre unidos, trabalhando e nos associando sempre com nossos irmãos, como formigas no formigueiro. Busque sempre a Jeová. De 31:6, 8.

(TAGS: Lealdade, obediência, conduta cristã)